Icon Principal > Projeto Imagem

O Projeto Imagem nasceu de uma frustração, quando em 1964, iniciativa pioneira idealizada por Aldrovando Góes Ribeiro e Mizael Garbin, produziram pela SELMA (Sociedade Espírita Leopoldo Machado), de Santo Antonio da Platina (PR), a primeiras imagens espíritas em acetato ou diapositivo (slide). Quando tentamos comprar as histórias já produzidas em meados dos anos 70, o projeto já tinha “fechado suas portas”, imagino que por dificuldades financeiras. Nascia ali (em 1974) a idéia de um dia fazer desenho espírita para continuar aquele ideal.


O Projeto, portanto, nasceu vinte anos depois de idealizado, pois foi preciso aguardar o aparecimento de desenhistas que fossem espíritas. Em 1994, Rodival Matias fazia a primeira história. A ele se juntaram outros 3 desenhistas: Diva Vargas, Rogério Soud e Mozart Couto.

Enquanto a SELMA produzia imagens para temas espíritas e para a educação espírita infantil, o Projeto Imagem tem como foco principal retratar as obras do espírito André Luiz, Emmanuel e da médium Yvonne Pereira, para levar às palestras públicas uma alternativa de apresentação: passar as imagens e contar a história do livro. Mas a idéia não é contar o livro todo, mas despertar para a leitura e para a re-leitura. Inicialmente chamado de Projeto Slide mudamos para Projeto Imagem, porque durante algum tempo passamos a fornecer 3 alternativas de mídia: slide, transparência e imagem digital.
Agora, com a dificuldade de custo e aquisição do filme para slides (em extinção) e o custo alto da tinta de impressora para fazermos transparências, só estamos fornecendo a imagem digital. As imagens digitais são fornecidas com a advertência de que não devem ser colocadas na Internet. Caso isso venha a ocorrer o trabalho não se sustenta financeiramente e seremos obrigados (como a SELMA) a “fechar as portas” com prejuízo imediato da divulgação a que o projeto se propõe.

Nascimento de uma história

Escolhemos um livro para ler pormenorizadamente. Voltamos a ler em seguida registrando os tópicos que resumem os capítulos. Entre os registros, escolhemos aqueles que precisam de uma imagem para ficar mais claro. Descrevemos a cenas com os detalhes possíveis. Por exemplo: se é dia ou noite, se há nuvens ou não, luar, pessoas encarnadas, espíritos, efeitos especiais (fluidos, luzes, etc) e remetemos ao desenhista, o resumo e a descrição de cada uma das cenas. Com base no que foi fornecido o desenhista elabora um esboço a lápis para examinarmos se o desenho atende à concepção que foi imaginada. Feitas as possíveis e necessárias correções, o desenho à lápis é liberado para coloração. É um trabalho que chega a demorar quase um ano, entre a leitura e a entrega das cenas.

Custos do trabalho.

Quando começamos os trabalhos, os desenhos custavam R$ 100,00 cada, hoje custam cerca de R$ 200,00 ou mais cada um, dependendo da sua complexidade.
Assim uma história como
Nos Domínios da Mediunidade de A.Luiz com 50 cenas, custou cerca de R$ 10.000,00 (dez mil reais). Não há como suportar estes custos sem a venda das histórias.

A autorização da Editora.

Este trabalho precisa ter e têm a autorização da FEB – Federação Espírita Brasileira que detém os direitos autorais da maioria de nossos projetos. A FEB além de examinar os desenhos, também avalia os textos resumo que acompanham as imagens, e ainda autoriza a comercialização por tempo determinado que pode ser ampliado se necessário. As editoras: IDE (Araras) e DIDIER (Votuporanga) também aprovaram trabalhos de seus livros.

Até onde chegaram estas imagens?

Temos os registros de todos os compradores. No Brasil as histórias estão em 70 cidades de norte a sul do país. No exterior há trabalhos do Projeto Imagem em Le Plessis-Robinson (França), Leiria (Portugal), Londres (Inglaterra), Madri (Espanha), Montreal (Canadá) e nas seguintes cidades Alemãs: Aachen, Northein, Würzburg, Düsseldorf, Mannheim, Müchen, Berlin, Stuttgart, Frankfurt e Hamburgo.

 
Portal editado e mantido por Tec Hosting do Brasil